ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Artigos]

Caos "humanitário"?!

José Mário Costa*

Caos "humanitário", desastre "humanitário" – vai-se lendo e ouvindo aqui e ali, nos "media" portugueses, a propósito destes tempos bélicos nos Balcãs e, em particular, no Kosovo. Se é desastre, ou caos, ou o que quer que se assemelhe a tragédia, como pode ser...humanitário?!
   Se é "humanitário" o que estão a passar os refugiados albaneses (e, afinal, toda essa martirizada ex-Jugoslávia), como se há-de qualificar, entretanto, o auxílio da Cruz Vermelha e demais organizações similares?
   Enfim, um verdadeiro míssil Tomahawk sobre um alvo reconhecidamente tão pacífico, como é a distinção, na nossa língua, entre os adjectivos humanitário1 e humano2. Ou seja, entre o que «visa ou interessa o bem-estar da humanidade» e o que é «próprio do homem ou relativo a ele». Vem em qualquer dicionário de português.




1
«Humanitário: do francês humanitaire (= que diz respeito à humanidade, que vem em auxílio à necessidades do homem). Relativo à humanidade; que procura o bem-estar do  homem e o avanço das reformas sociais; filantrópico; relativo ao humanitarismo é tico ou teológico; dotado de bons sentimentos; compassivo bondoso; aquele que trabalha pelo bem-estar do próximo; altruísta». Por ex.: auxílio humanitário, missão humanitária, intervenção humanitária; sentimentos humanitários.
 

  2«Humano: do latim humānos (= próprio do homem; bondoso; erudito; instruído nas humanidades). Que é relativo ao homem ['carne humana', 'voz humana']; ou que é próprio da sua natureza (fraquezas ou virtudes) ['ingratidão humana', ´miséria humana', ' desgraça humana'; 'generosidade humana']; composto por homens ['espécie humana', 'raça humana']; que não é divino ['justiça humana']; que mostra piedade, indulgência, compreensão para com outra(s) pessoa(s) ['um patrão humano']».

 

 

 

07/04/1999

Sobre o autor

* José Mário Costa é um jornalista português, cofundador (com João Carreira Bom) e responsável editorial do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Autor do programa televisivo Cuidado com a Língua!, cuja primeira série se encontra recolhida em livro, em colaboração com a professora Maria Regina Rocha. Ver mais aqui.

 

Enviar:

Artigos
«Apenas só disse isso»
Sobre o que (não) trata o Acordo Ortográfico
Quatro vozes a favor do Acordo Ortográfico
Errar, é humano
«Em bom português»?
Transbording
Marisa Mendonça, diretora-executiva do IILP
«Acordo ortográfico não está em causa em nenhum país da CPLP»
Uso bom das palavras
Oitocentos anos de língua portuguesa
«Foi ele que se atreviu»


Mostra todos

Ciber Escola Ciber Cursos