ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[O Nosso Idioma]Léxico

Palavras referentes ao Islão *

Lista baseada na que se encontra em “Termos ligados ao islamismo” do portal brasileiro Infoescola. Foram feitas várias correções bem como adaptações à norma de Portugal. Na imagem, em baixo, a Mesquita Hassan II, em Casablanca (Marrocos).

 

 

Alcorão ou Corão – em árabe, o termo significa "recitação" e faz referência ao livro sagrado do islamismo, que, acredita-se, foi ditado a Maomé pelo anjo Gabriel (em árabe, Jibril ou Jibraʽil), reproduzindo as exatas palavras de Deus.

aiatola ou aiatolá (cf. Dicionário Houaiss) De ayat Allah, «sinal de Deus»; no islamismo xiita é o especialista em estudos islâmicos no campo das leis, ética e filosofia, e, por isso mesmo, tido em alta conta por sua sabedoria.

Alá – designação árabe de Deus, concebido como deus único, como entre judeus e cristãos. A palavra Allah é uma contração das palavras árabes al illah, que significa «O Deus». É o Criador, o Juiz Misericordioso, que trará os crentes para o céu e coloca os incrédulos e pecadores no inferno.

califa – é o nome dado ao líder de uma Umma (comunidade islâmica) que tem por lei a charia (ou xaria). O califa exerce o papel de juiz, administrador e líder militar, e é considerado o sucessor político de Maomé no islã sunita. O posto foi abolido em 1924, após a queda do Império Turco Otomano.

casbá – cidadelas fortificadas comuns no norte de África.

chador e burca – a atualidade (com a história) exige termos mais específicos do que o vago e convencional «véu islâmico»; refira-se, por exemplo, a entrada no léxico português de chador – que, há algum tempo, os dicionários adotaram sem dificuldade, mas que, com rigor filológico, deveria ser xador –, e burca, adaptação adequada de burqa ou burka, transcrições de formas usadas em persa e árabe (consulte-se artigo da Wikipédia em espanhol; ver também nicabe, aportuguesamento de niqab).

hajj - a peregrinação a Meca, dever de todo o muçulmano, a ser realizada pelo menos uma vez na vida por todo o indivíduo com saúde e condições financeiras.

imã – é o líder do culto da mesquita e também o título dos principais líderes religiosos a suceder Maomé.

integrismo e integralismo – como sinónimos de fundamentalismo, ocorrem nas notícias ambos os termos, mas, no plano religioso, na exata aceção de «apego exacerbado aos princípios e dogmas de uma religião, não admitindo qualquer tipo de mudança em relação a eles» (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa), é integrismo o termo registado em vários dicionários (Houaiss, Priberam, Porto Editora).

Islão e islão – a ortografia portuguesa, pelo menos desde meados da década de 40 do século passado (ver Rebelo Gonçalves, Tratado de Ortografia da Língua Portuguesa, de 1947, e Vocabulário da Língua Portuguesa, de 1966), tem-se apoiado numa distinção referencial para determinar o uso da maiúscula e minúscula iniciais; sendo assim, Islão designa o conjunto dos países islâmicos, enquanto islão é a designação da doutrina religiosa também conhecida como islamismo (ver esta resposta). Mencionem-se ainda as variantes Islã/islã (bastante usadas no Brasil) e Islame/islame. Para outra proposta, ver artigo de Francisco Bélard, disponível na rubrica Controvérsias.

jiade (donde jiadismo e jiadista) – Termo que significa «luta», e que pode ser de dois tipos: a jiade menor, ou física, ou externa, na qual há a expectativa de que os muçulmanos defendam sua pátria e o Islão de um possível ataque. A jiade maior é a batalha interior, dentro de si, na qual o muçulmano deve lutar para vencer o mal interior.

madraça – instituição educacional de natureza religiosa.

Maomé – (570-8 de junho de 632) é tido como o profeta e mensageiro de Deus tanto da fé islâmica como da fé Baha´i.

mesquita – (masjid em árabe) é a casa de oração para o culto da comunidade. A sala de oração principal de uma mesquita é geralmente vazia, com pisos cobertos com tapetes finos em vez de cadeiras. O salão possui um nicho, o mihrab, que indica a direção de Meca, no qual as orações são oferecidas. A mesquita é vista como o lugar para a oração comunitária, especialmente na sexta-feira, e ainda pode ter um número de instituições ligadas a ela, como uma faculdade, cozinha para os pobres, hospital, biblioteca, escola primária, cemitério, e assim por diante.

muezim ou almuadem – é o indivíduo responsável por chamar os fiéis para realizar as cinco preces diárias. Para isso, ele entoa um chamado, o adhan ou azan, do alto do minarete (a grande torre proeminente na maioria das mesquitas). É o equivalente no cristianismo ao sino da igreja.

mulá – No islã sunita, é um indivíduo versado na sharia («lei sagrada»). Significa vigário, mestre, guardião e é um título costumeiramente atribuído no mundo islâmico aos intelectuais.

ramadão ou ramadã – Nono mês do calendário islâmico, considerado sagrado, pois nele Maomé recebeu a primeira revelação do Alcorão. Durante o ramadão, os muçulmanos jejuam durante o dia, e, no final do mês, promove-se o festival da Quebra do Jejum (Eid al-Fitr).

charia ou xaria – Sistema jurídico-religioso arcaico, que regula toda a vida social dos muçulmanos e não-muçulmanos sob domínio islâmico. Creditada pelos muçulmanos como legada por Deus, ela é, sob tal aspecto, imutável.

shahada – Termo que significa, a grosso modo, "testemunho", em árabe. Serve para se referir ao pilar máximo do credo islâmico, que sintetiza, em uma frase, a ideia central da religião: «não há nenhum deus além de Deus, e Maomé é o mensageiro de Deus.» A bandeira da Arábia Saudita traz a shahada.

sufismo – Termo que designa movimentos místicos e ascéticos do islão. Um sufi tenta ir além das restrições da prática básica do islão e propõe-se buscar Deus em formas mais íntimas. Em muitos aspectos, isso é semelhante às tentativas dos budistas para alcançar a iluminação. Sempre houve uma tensão entre o sufismo e islão clássico, porque muitas das crenças, ações e declarações do sufis parecem heréticas para não-sufis.

sunismo – A maior corrente do islão, com cerca de 80 a 85 por cento do total de fiéis. Os sunitas acreditam que Maomé não nomeou um sucessor e, portanto, este tinha de ser escolhido pelos próprios muçulmanos. Isso levou ao estabelecimento do califado, uma série de homens que assumiram o poder terreno e temporal de Maomé, mas que não fez nenhuma reivindicação como sucessor espiritual do profeta.

umma – é a comunidade islâmica, ou seja, todos os povos que aceitaram o credo islâmico. Hoje, a umma se estende desde Marrocos (África do Norte) à Indonésia (Sudeste asiático).

vizir – ministro e conselheiro de um sultão.

xeque ou xeique – líder de uma cidade ou vila, ou, ainda, pessoa idosa, venerável, ou mesmo um mestre dos ensinamentos do islão. No sufismo, o xeque é um mestre espiritual, um guru.

xerife – Do termo árabe xarīf, que significa «nobre, eminente» (cf. Dicionário Houaiss) e é o título dos ex-governadores de Hejaz (litoral ocidental da península arábica) e comissário das cidades sagradas de Meca e Medina.

xiismo – principal divisão do islamismo, com cerca de 15 por cento de adeptos. A principal razão para a sua separação da linha principal, a sunita, reside na questão da sucessão de Maomé. Os xiitas acreditam que Ali, genro e primo do profeta, é o seu sucessor e herdeiro espiritual.


* Adaptação da lista "Termos ligados ao islamismo", disponível no portal brasileiro Infoescola. :: 20/01/2015

Enviar:

O Nosso Idioma

Textos de investigação/reflexão sobre língua portuguesa.

Palavras referentes ao Islão
25 palavras que marcaram 2014
Labirinto
Empate
Família
Coisas do português
«Assestar baterias» (e não «“cerrar” baterias»)
Termos náuticos e quinta-essência da língua
O palavrão do ano
Lindamente

Mostra todosLéxico


Temas

A arte do uso da linguagem

A língua portuguesa vista por estrangeiros

Acordo Ortográfico

Aportuguesamento de termos estrangeiros

Concordância

Dicionários

Ensino

Escritores e poetas

Estrangeirismos

Evolução semântica

Expressões idiomáticas, frases feitas

Fonética

Género

Gerundismo

Gírias

História da Língua

Histórias de palavras

Interpretação dos provérbios

Léxico

Linguística

Literatura

Livros

Neologismos

O português do Brasil

O português em Angola

O português em Moçambique

O português em Timor

O português na CPLP

O português nos 8 países da CPLP

O português, língua científica

O uso e abuso da língua inglesa

Onomástica

Ortofonia

Pontuação

Português do Brasil vs Português europeu

Português, língua técnica e científica

Pragmática

Regionalismos

Tabuísmos

tecnologia

toponímia

Unidade e diversidade da língua

Uso e norma

Uso inadequado do léxico na política

Uso incorreto do léxico na comunicação social

Verbos

Vídeos



Autores

Abel Barros Baptista

Agostinho de Campos

Alberto Villas

Alex Sander Alcântara

Alfredo Barroso

Álvaro Garcia Fernandes

Ana Goulão

Ana Martins

Ana Sousa Martins

Anselmo Borges

António Costa Santos

António Dinis da Cruz e Silva

António Pinho Vargas

António Valdemar

António Vieira

Appio Sottomayor

Arnaldo Niskier

Augusto Soares da Silva

Augusto Soares da Silva; Marlene Danaia Duarte

Carlos A. M. Gouveia

Carlos Alberto Faraco

Carlos Drummond de Andrade

Carlos Eduardo Drummond

Carlos Reis

Carlos Rocha

Carolina Reis

Cecília Meireles

Chico Viana

Clara Ferreira Alves

Daniela Cordeiro

Desidério Murcho

Diogo Pires Aurélio

Duda Guennes

D´ Silvas Filho

Edgard Murano

Edno Pimentel

Eduardo Cintra Torres

Eduardo Prado Coelho

Escola Superior de Educação de Lisboa

Eugénio de Andrade

Fernando Braga

Fernando Sabino

Fernando Venâncio

Fernando Venâncio Peixoto da Fonseca

Ferreira da Rosa

Ferreira Fernandes

Ferreira Gullar

Filipe Luís

Francicarlos Diniz

Francisco Belard

Gonçalo M. Tavares

Gonçalo Neves

Henrique Monteiro

Ida Rebelo

Isabel Casanova

Isabel Coutinho

Isabel Leal

Isabelle Oliveira

João Bonifácio

João Cabral de Melo Neto

João de Melo

João Paulo Coelho de S. Rodrigues

João Paulo Cotrim

João Ubaldo Ribeiro

Joaquim Ferreira dos Santos

Joaquim Vieira

Joel Neto

Jorge Daupiás

Jorge Miranda

José Eduardo Agualusa

José Luis Peixoto

José Mário Costa

José Mário Costa,João Matias

José Neves Henriques

José Paulo Cavalcanti Filho

José Pedro Ferreira

José Saramago

José Tolentino Mendonça

Luciano Eduardo de Oliveira

Luís Campos e Cunha

Luís Carlos Patraquim

Luís Fernando Veríssimo

Luís Francisco Rebelo

Manuel Alegre

Manuel Bandeira

Manuel Gonçalves da Silva

Manuel Matos Monteiro

Manuel Rodrigues Lapa

Manuel Rui

Margarita Correia

Maria Helena Mira Mateus

Maria Lúcia Lepecki

Maria Regina Rocha

Mário Bettencourt Resendes

Mário de Carvalho

Mário de Carvalho

Mário Ramires

Mário Vieira de Carvalho

Markus Schmid

Marta Avancini

Marta Martins Silva

Mia Couto

Miguel Esteves Cardoso

Miguel Faria de Bastos

Miguel Gaspar

Nelly Carvalho

Nuno Crato

Nuno Júdice

Nuno Pacheco

Olavo Bilac

Padre António Vieira

Pasquale Cipro Neto

Paulo Afonso Grisolli

Paulo Araújo

Paulo J. S. Barata

Paulo José Miranda

Paulo Moura

Paulo Pisco

Pedro Mexia

Renato Epifânio

Ricardo Araújo Pereira

Ricardo Nabais

Rita Pimenta

Robert Macpherson

Rodrigues Lobo

Rui Araújo

Sandra Duarte Tavares

Sara Leite

Sérgio Rodrigues

Sírio Possenti

Susana Venceslau,Gabriela Chagas

Teixeira de Pascoaes

Telmo Verdelho

Ursulino Leão

Vários

Vasco Barreto

Vasco Graça Moura

Vasco Pulido Valente

Virgílio Azevedo

Vital Moreira

Vítor Bandarra

Wilton Fonseca


Mostra todos

Ciber Escola Ciber Cursos