ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Acordo Ortográfico] - Controvérsias

De Acordo? *

Francisco Seixas da Costa**

«Essa brava aldeia de Astérix [do anti-Acordo Ortográfico, em Portugal, findo que foi o período de transição para a sua adoção plena] – escreve o autor na sua coluna de opinião do "Jornal de Notícias" de 15/05/2015 – escava hoje as últimas trincheiras legais, implora a ajuda da preguiça lusófona para a sua derradeira batalha, reza pela heterodoxia de Angola e desconfia do Brasil, essa vil potência do gerúndio e das vogais indecentemente abertas. Quem sabe se ainda os veremos a ter um candidato presidencial – um Octávio com "c" ou um Baptista com um "p" dos que algumas tias velhas ainda cuidam em pronunciar ao chá.»

 

 

Às vezes, neste país em que a crise nos trocou os dias e insoniou as noites, nos cortou os salários e a esperança, nos ajouja de impostos, neste Portugal vendido ao desbarato, na grande feira liberal exportada de Chicago para Massamá, às vezes, afinal, é por outra razão que não essa que se levantam os mais fortes clamores de revolta.

É como se a pérfida Albion nos tivesse impedido, de novo, o sonho do mapa cor de rosa, como se os "turras" voltassem a decepar colonos incautos, como se o pandita Nehru reafundasse o "Afonso de Albuquerque" nas águas mornas de Pangim. É a pátria ofendida que regressa, desta vez pela aguda gravidade de um acento perdido, consolando a orfandade de vogais que choram o fim de alguns circunflexos telheiros gráficos.

Vá lá que, por essa bandeira, não se sai à rua para escacar montras e cabeças, não se atulham alamedas de clamores, poetas de peito feito não anunciam "Marias da Fonte", não se descem avenidas, de cravos irados e de braços dados, rumando a Rossios de indignação e vilas morenas.

Esse rumor cívico trepa, contudo, há muito, pelos posts de blogues soberanistas, excita-se nas laudas severas da estimável folha diária da Sonae, num feroz "no pasarán!", verbaliza-se, com anónimo arrojo, no vernáculo das caixas de comentários. São a brigada do asterismo, os que anunciam, lá ao fundo do texto, a sua orgulhosa não adesão ao ultraje gráfico.

No passado, andariam pelas catacumbas do MUD, hoje dão a vida cívica por uma muda consoante. São netos dos nostálgicos do "ph" da farmácia, dos chorosos, tal como Pessoa, da graça do "y" que o cisne em tempos perdeu, dos que há muito se haviam sentido tramados pela falta do trema que germanicamente lhes ornava os "u", separados do futuro por um elidido hífen.

Essa brava aldeia de Astérix escava hoje as últimas trincheiras legais, implora a ajuda da preguiça lusófona para a sua derradeira batalha, reza pela heterodoxia de Angola e desconfia do Brasil, essa vil potência do gerúndio e das vogais indecentemente abertas. Quem sabe se ainda os veremos a ter um candidato presidencial – um Octávio com "c" ou um Baptista com um "p" dos que algumas tias velhas ainda cuidam em pronunciar ao chá.

O Acordo Ortográfico entrou agora, definitivamente, em vigor. Quem o não quiser utilizar que o não faça. Mas será assim uma questão tão importante? Afinal, se bem repararam, no artigo que acabam de ler, nem por uma vez se divergiu da velha escrita. Não estão de Acordo?

 

Outros textos do Autor

* artigo publicado no "Jornal de Notícias" de 15 de maio de 2015 :: 15/05/2015

Sobre o autor

** Francisco Seixas da Costa (Vila Real, 1948) é um diplomata português. Dirige o Centro Norte-Sul do Conselho da Europa desde 2013. Entre 1995 e 2001 foi Secretário de Estado dos Assuntos Europeus e, entre 2001 e 2002, foi embaixador representante junto das Nações Unidas. Entre 2005 e 2013, foi embaixador de Portugal no Brasil e em França. A partir de 2012, passou a assumir funções como embaixador representante junto da UNESCO e junto da União Latina.

Enviar:

Acordo Ortográfico

Questões relativas ao Acordo Ortográfico.

Sobre o que (não) trata o Acordo Ortográfico
Quatro vozes a favor do Acordo Ortográfico
Marisa Mendonça, diretora-executiva do IILP
«Acordo ortográfico não está em causa em nenhum país da CPLP»
Os apátridas da língua que nos governam
De Acordo?
Acordo Ortográfico com prós e contras
Afinal, quando termina o período de transição?
Adversários do Acordo Ortográfico
reclamam referendo
Angola quer melhorias no Acordo Ortográfico
e garante também o seu vocabulário nacional
Amnésia ou ignorância?

Temas

Controvérsias

Notícias

Vídeos



Autores

A.P.C.

Academia Brasileira de Letras

Adelino Gomes

Adriano Moreira

Alexandra Carita

Alexandra Prado Coelho

Alexandre Gonçalves

Ana Dias Cordeiro

Ana Martins

Ana Paula Tavares

António Emiliano

António Fernando Nabais

António Guerreiro

Arlete Fonseca

Arnaldo Niskier

Associação Brasileira de Editoras Universitárias

Baptista-Bastos

Bruno Nunes

Carlos Alberto Faraco

Carlos Enes

Carlos Reis

Catarina Homem Marques

César Avó

Ciberdúvidas da Língua Portuguesa

Ciberdúvidas/RDP-África

Clara Ferreira Alves

Courrier Internacional

Cristina Figueiredo

D'Silvas Filho

Daniel Oliveira

Dante Lucchesi

Deh Oliveira

Deonísio da Silva

Desidério Murcho

Direção editorial

D´Silvas Filho

Edite Estrela

Edite Prada

Evanildo Bechara

Evanildo Bechara

Fabiano Ormaneze

Fernando Belo

Fernando Cristóvão

Fernando dos Santos Neves

Fernando Guerra

Fernando Paulo Baptista

Fernando Venâncio

Ferreira Fernandes

Francisco José Viegas

Francisco Miguel Valada

Francisco Seixas da Costa

Gilvan Müller de Oliveira

Helena Soares

Helena Topa

Henrique Monteiro

Humberto Costa

Içara Bahia

Inês Pedrosa

Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC)

Isabel Pires de Lima

J.M.C.

Jaime Pinsky

Joana Pereira Bastos

João Andrade Peres

João César das Neves

João Roque Dias

João Tiago Silveira **

Jonuel Gonçalves

Jorge Candeias

José António Pinto Ribeiro

José António Saraiva

José Cabrita Saraiva

José Eduardo Agualusa

José Gil

José Mário Costa

José Pacheco Pereira

José Pacheco Pereira

José Vítor Malheiros

Kathleen Gomes

Luís F. Lindley Cintra

Luís Miguel Queirós

Luís Miguel Viana

Luísa Alcântara e Silva

Lusa

M. Gaspar Martins

Manuel Carlos Chaparro

Manuel Villaverde Cabral

Margarida Davim

Margarita Correia

Maria Helena Mira Mateus

Maria Regina Rocha

Mário de Carvalho

Mário Vilalva

Marta Cerqueira

Melissa Lopes

Miguel Esteves Cardoso

Miguel Tamen

Nelly Carvalho

Nuno Amaral

Nuno Pacheco

Oscar Mascarenhas

Paulo Fridman

Paulo Jorge Assunção

Pedro Bacelar de Vasconcelos

Pedro Lomba

Pedro Mota Soares

Pedro Santana Lopes

Ricardo Garcia

Ricardo Pais

Rui Bebiano

Rui Ramos

Rui Tavares

Sérgio Almeida

Teotónio R. de Souza

Valdemar Cruz

Vanessa Rodrigues, em São Paulo, José Cabrita Saraiva e Vladimiro Nunes

Vários autores

Vasco Graça Moura

Vasco Pulido Valente

Vital Moreira

Vítor Santos Lindgaard


Mostra todos

Ciber Escola Ciber Cursos