ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Acordo Ortográfico] - Notícias

Afinal, quando termina o período de transição? *

Sérgio Almeida**

Apontamento publicado no "Jornal de Notícias" (5 de maio de 2015), no âmbito do trabalho assinado pelo jornalista Sérgio Almeida, dado à estampa pelo diário português, a propósito da celebração do Dia da Lingua Portuguesa, instituído pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa ("Um dia para celebrar o Português").

 

Separados em tudo o resto, defensores e opositores do Acordo Ortográfico (AO) não se entendem também quanto à data que marca o final do período de transição estabelecido para a implementação do tratado que se propõe unificar a ortografia de língua portuguesa. Asseguram os apoiantes que essa data acontece já no próximo dia 13 [de maio de 2015], enquanto os detratores apontam 22 de setembro como o primeiro dia em que deixam de ser admissíveis ambas as grafias.

Para José Mário Costa, responsável do portal Ciberdúvidas, essa discrepância decorre de «uma interpretação jurídica» [de setores anti-AO1] que não altera o que considera essencial: a impossibilidade de haver um volte-face no processo, como acalentam ainda os opositores do AO, entre os quais constam os nomes de Bagão FélixGonçalo M. Tavares, Manuel Alegre ou Miguel Sousa Tavares. Além de defenderem a inconstitucionalidade do documento, os defensores do Movimento NÃO (Não ao Acordo Ortográfico) sugerem ainda a realização de um referendo nacional sobre o tema.

Com Moçambique a aprestar-se para ratificar o tratado, Angola é o único país que [tendo sido um dos oito países signatários do Acordo Ortográfico, tem manifestado as maiores reservas na sua adoção] por considerar que se encontra sub-representado no documento.

No Brasil, país onde se situam três quartos dos falantes de Português, o período de transição termina já no fim do ano.

 

 A data a partir da qual a nova norma ortográfica passa a ser a única a prevalecer juridicamente em Portugal decorre dos trâmites legais aqui e aqui já recordados em 2010. E ainda em "O que é o período de transição?". Resumindo: o período de transição para a aplicação do Acordo Ortográfico em Portugal, no final do qual a nova ortografia se torna obrigatória nas instituições do âmbito do Estado, é de seis anos. Assim se pode ler na proposta de resolução apresentada pelo Governo de Portugal em 2008, que tinha como objetivo a ratificação, por parte de Portugal, do Segundo Protocolo Modificativo assinado em 2004 por todos os países que subscreveram aquele tratado. Essa proposta de resolução, que determinou um período de transição de seis anos, foi votada favoravelmente, quase por unanimidade, na Assembleia da República (Resolução 35/2008) e ratificada pelo Presidente da República ainda no mesmo ano (Decreto 52/2008). Para esclarecimentos mais detalhados, consulte-se o Aviso n.º 255/2010 do Ministério dos Negócios Estrangeiros, de 17 de setembro, que confirma a data de entrada em vigor do Acordo Ortográfico em Portugal.

* in "Jornal de Notícias" de 5 de maio de 2015 :: 05/05/2015

Sobre o autor

** Sérgio Almeida (Luanda, 1975) é jornalista do Jornal de Notícias. É autor dos livros Análise Epistemológica da Treta, Armai-Vos uns aos Outros, Como Ficar Louco e Gostar Disso e Ob-dejectos.

 

Enviar:

Acordo Ortográfico

Questões relativas ao Acordo Ortográfico.

Sobre o que (não) trata o Acordo Ortográfico
Quatro vozes a favor do Acordo Ortográfico
Marisa Mendonça, diretora-executiva do IILP
«Acordo ortográfico não está em causa em nenhum país da CPLP»
Os apátridas da língua que nos governam
De Acordo?
Acordo Ortográfico com prós e contras
Afinal, quando termina o período de transição?
Adversários do Acordo Ortográfico
reclamam referendo
Angola quer melhorias no Acordo Ortográfico
e garante também o seu vocabulário nacional
Amnésia ou ignorância?

Temas

Controvérsias

Notícias

Vídeos



Autores

A.P.C.

Academia Brasileira de Letras

Adelino Gomes

Adriano Moreira

Alexandra Carita

Alexandra Prado Coelho

Alexandre Gonçalves

Ana Dias Cordeiro

Ana Martins

Ana Paula Tavares

António Emiliano

António Fernando Nabais

António Guerreiro

Arlete Fonseca

Arnaldo Niskier

Associação Brasileira de Editoras Universitárias

Baptista-Bastos

Bruno Nunes

Carlos Alberto Faraco

Carlos Enes

Carlos Reis

Catarina Homem Marques

César Avó

Ciberdúvidas da Língua Portuguesa

Ciberdúvidas/RDP-África

Clara Ferreira Alves

Courrier Internacional

Cristina Figueiredo

D'Silvas Filho

Daniel Oliveira

Dante Lucchesi

Deh Oliveira

Deonísio da Silva

Desidério Murcho

Direção editorial

D´Silvas Filho

Edite Estrela

Edite Prada

Evanildo Bechara

Evanildo Bechara

Fabiano Ormaneze

Fernando Belo

Fernando Cristóvão

Fernando dos Santos Neves

Fernando Guerra

Fernando Paulo Baptista

Fernando Venâncio

Ferreira Fernandes

Francisco José Viegas

Francisco Miguel Valada

Francisco Seixas da Costa

Gilvan Müller de Oliveira

Helena Soares

Helena Topa

Henrique Monteiro

Humberto Costa

Içara Bahia

Inês Pedrosa

Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC)

Isabel Pires de Lima

J.M.C.

Jaime Pinsky

Joana Pereira Bastos

João Andrade Peres

João César das Neves

João Roque Dias

João Tiago Silveira **

Jonuel Gonçalves

Jorge Candeias

José António Pinto Ribeiro

José António Saraiva

José Cabrita Saraiva

José Eduardo Agualusa

José Gil

José Mário Costa

José Pacheco Pereira

José Pacheco Pereira

José Vítor Malheiros

Kathleen Gomes

Luís F. Lindley Cintra

Luís Miguel Queirós

Luís Miguel Viana

Luísa Alcântara e Silva

Lusa

M. Gaspar Martins

Manuel Carlos Chaparro

Manuel Villaverde Cabral

Margarida Davim

Margarita Correia

Maria Helena Mira Mateus

Maria Regina Rocha

Mário de Carvalho

Mário Vilalva

Marta Cerqueira

Melissa Lopes

Miguel Esteves Cardoso

Miguel Tamen

Nelly Carvalho

Nuno Amaral

Nuno Pacheco

Oscar Mascarenhas

Paulo Fridman

Paulo Jorge Assunção

Pedro Bacelar de Vasconcelos

Pedro Lomba

Pedro Mota Soares

Pedro Santana Lopes

Ricardo Garcia

Ricardo Pais

Rui Bebiano

Rui Ramos

Rui Tavares

Sérgio Almeida

Teotónio R. de Souza

Valdemar Cruz

Vanessa Rodrigues, em São Paulo, José Cabrita Saraiva e Vladimiro Nunes

Vários autores

Vasco Graça Moura

Vasco Pulido Valente

Vital Moreira

Vítor Santos Lindgaard


Mostra todos

Ciber Escola Ciber Cursos